Vítimas das chuvas da última semana tiram segunda via de documentos

12/17/2013 às 12:05 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Ação Social realizou 1.633 atendimentos na Vila Pacaembu, em Queimados

Wanderson Costa Cruz-6274

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), através da Subsecretaria de Articulação Institucional, realizou no último sábado (14/11), a ação social Cidadania Direito de Tod@s na Vila Pacaembu, em Queimados. O objetivo foi atender as famílias que perderam documentação na enchente ocorrida na semana passada. Durante toda a manhã foram realizados 1.633 atendimentos.

“É o primeiro passo para que as famílias retomem suas vidas, porque sem documento não dá para fazer nada. Ter a documentação é pré-requisito, inclusive, para o cadastramento no Aluguel Social, que começaremos na próxima segunda (16/11) e nos demais programas sociais dos governos tais como o Minha Casa, Minha Vida. Estamos realizando esta ação e se necessário realizaremos outras durante a semana para atender a todos que perderam a documentação”, explicou o secretario de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira.

Moradora do bairro Vila Coimbra, a dona de casa Tatiana dos Santos, de 25 anos, perdeu carteira de identidade, CPF e Carteira de Trabalho na enchente.

“Só não perdi a certidão de casamento e a certidão de nascimento dos meus filhos porque estavam encima do guarda-roupa. Vim tirar os documentos que perdi para poder dar entrada no aluguel social a partir de segunda-feira. Por enquanto, estamos em um abrigo, mas já estamos procurando casa para alugar”, contou Tatiana, que mora com o esposo e cinco filhos com idades entre 10 e 1 ano.

A dona de casa Aline da Conceição Galdino dos Santos, de 25 anos, perdeu todos os documentos quando levava um dos filhos ao hospital durante a enchente.

“Estava tão atordoada que deixei a bolsa com tudo no ônibus, agora estou tendo que tirar segunda via da certidão de casamento, da certidão de nascimento dos meus dois filhos, além de identidade e CPF”, relatou Aline.

A ação ofereceu os seguintes serviços: isenção e retirada de segunda via de certidões de nascimento, casamento e óbito; isenção e emissão de 2ª via de Carteira de Identidade; e emissão de Carteira de Trabalho.

A iniciativa contou com a participação de diversos outros órgãos públicos tais como Fundação Leão XIII; Centro Comunitário de Defesa da Cidadania (CCDC); Secretaria de Estado de Trabalho (SETRAB); DETRAN-RJ; e Prefeitura de Queimados.

Colégio Estadual em Nova Iguaçu ganha novo nome

12/16/2013 às 11:58 am | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Colégio Estadual Costa e Silva passa a se chamar Abdias Nascimento

Wanderson Costa Cruz-5974

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, juntamente com a Secretaria de Educação e a Comissão Estadual da Verdade, realizou, na tarde desta sexta-feira (13), a cerimonia de mudança de nome do Colégio Estadual Costa e Silva em Nova Iguaçu.

O colégio, que teve o nome escolhido pelos alunos da própria instituição, passa a se chamar Colégio Estadual Abdias Nascimento.

Fundador do Teatro Experimental do Negro e o primeiro deputado federal a dedicar seu mandato à luta contra o racismo, Abdias foi também senador e, no governo de Leonel Brizola, ocupou a Secretaria de Defesa e Promoção das Populações Afro-brasileiras do Estado do Rio de Janeiro.

Eliza do Nascimento, viúva de Abdias do Nascimento, se emocionou durante a cerimonia.

“Tenho certeza que o Abdias, onde ele estiver, está feliz, eu estou muito emocionada porque para ele as crianças e os jovens eram as pessoas mais importantes, ele trabalhou a vida toda para beneficiar não só os negros, mas todos os jovens.”

Juliana Farias de 17 anos, aluna do 1º ano do Colégio, destacou a importância de ter participado dessa mudança.

“ Abdias foi um homem muito importante para a sociedade negra. Temos que ficar felizes porque estamos evoluindo e mudanças são necessárias e o mais importante é que nós, os alunos, participamos dessa mudança, vamos estar na história da mudança do nome da nossa escola.”

O secretário Zaqueu Teixeira, presente na cerimonia, explicou o porque da mudança de nome do colégio.

“ Em uma das primeiras reuniões com membros da Comissão da Verdade foi destacada a importância do processo de resgate da memória da verdade e de fazermos a transformação de determinados símbolos que haviam sido postos pela ditadura. Uma dessas reparações é fazer simbolicamente a mudança da identidade. E estamos aqui construindo mais um capítulo para que a verdade possa ser escrita” disse Zaqueu.

Também participaram da cerimonia Geraldo Cândido, membro da Comissão Estadual da Verdade, Maria Minerva, superintendente de gestão da rede da Secretaria Estadual de Educação, e Selma dos Reis, diretora do colégio.

Governo do Estado iniciou Curso de Formação em Direitos Humanos para Policiais do Rio de Janeiro

12/16/2013 às 11:54 am | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Iniciativa da SEASDH em parceria com a SESEG irá formar mil policiais do estado, com investimento de R$ 900 mil

As secretarias de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) e de Segurança Pública (SESEG) realizaram, esta semana, no Centro de Capacitação de Programas de Prevenção (CCPP), em Sulacap, o primeiro módulo do Curso de Formação em Direitos Humanos para Policiais do Estado do Rio de Janeiro. A iniciativa visa investir na formação humanística dos policiais do estado, melhorando a relação polícia-população e evitando excessos em situações de conflito, tais como as manifestações ocorridas no estado desde junho deste ano.

“Muitas vezes, no intuito de manter a ordem e defender o patrimônio público o Estado, ali representado pela polícia, acaba por violar os Direitos Humanos. Nós temos uma polícia muito militarizada, que durante décadas foi treinada de forma hierarquizada e violenta. Para evitar essas violações de direitos humanos e melhorar a relação polícia-cidadão, o Governo do Estado entendeu que é fundamental investir na formação humanística da polícia, para que, com conhecimento, eles possam agir dentro do que preconizam os direitos humanos nos momentos de conflito”, destaca o secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira.

O cursos irá formar 1000 policiais, com investimento de R$ 900 mil, feito pela SEASDH. Na etapa piloto participam da iniciativa 30 policiais do Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD) e 30 policiais do Batalhão de Grandes Eventos, que atuarão em momentos como Carnaval, Natal, Réveillon, Copa do Mundo etc. Estes policiais serão multiplicadores dentro da corporação.

A formação, com carga de 80 horas, será dividida em três módulos. O primeiro, realizado agora em dezembro, terá 20 horas de formação. O segundo módulo começa em fevereiro e terá 40 horas-aula. A última etapa ocorre em março, com 20 horas de formação.

Cada turma terá um tutor, que acompanhará a evolução dos alunos, a construção do conhecimento, o aprendizado, a conscientização e humanização dos policiais. As aulas serão ministradas por professores são das universidades Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Dentre os assuntos abordados estão: Direitos Humanos e Construção da Cidadania; Minorias e Desigualdade Social; Questões Sociais e Diversidade; Cidadania no cotidiano; Políticas de Proteção Social; Direitos Fundamentais e Antropologias Urbanas, que tratará das relações entre capitalismo e pobreza, cidadania e segurança pública, mídias e manifestações.

SEASDH certifica 187 profissionais da rede de atendimento à mulher

12/12/2013 às 1:08 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Capacitação foi oferecida pela SPMulheres-RJ a funcionários da rede de proteção à mulher de 26 cidades

Wanderson Costa Cruz-4783

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, por meio da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres (SPMulheres-RJ), realizou, nesta quinta-feira (05/12) cerimônia de certificação do Curso de Capacitação para Centros de Atendimento à Mulher.

O curso, realizado no dias 09, 10 e 11 de julho (turma 01) e 16, 17 e 18 de julho (turma 2), na sede na SPMulheres-RJ na Capital Fluminense, capacitou 187 profissionais que atuam em serviços especializados de atendimento a mulheres em situação de violência em 26 municípios do Estado do Rio de Janeiro.

“A rede de serviços que atende mulheres vítimas de violência no estado do Rio de Janeiro vem se renovando e crescendo ao longo do tempo, com a criação de novos serviços, ampliação de serviços já existentes e contratação de novos profissionais para atuação direta no atendimento às mulheres. Por outro lado, as normas técnicas e leis que regulam esta atividade também vêm se renovando e ampliando, demandando atualização constante por parte das equipes, em benefício das mulheres atendidas”, explica a subsecretária de Políticas para as Mulheres, Adriana Mota.

Assistente Social na Casa da Mulher de Mesquita, na Baixada Fluminense, Cláudia Monteiro foi uma das participantes do curso.

“Eu estagiei no Fórum, mas o meu conhecimento era muito reduzido quando fui trabalhar na Casa, não entendia muito bem como era o atendimento. O curso detalhou como deve ser a abordagem, o atendimento a essas mulheres em situação de violência. Me senti mais preparada para atender depois da capacitação”, contou Cláudia.

Secretária da Terceira Idade e Desenvolvimento Humano de Araruama, Lourdes Belchior, falou da importância da capacitação para as profissionais de sua equipe.

“Foi um curso muito proveitoso, onde cada membro da equipe pode entender o contexto em que essas mulheres em situação de violência estão inseridas. Além disso, cada um pode reconhecer o seu papel dentro da equipe e do atendimento”, relatou Lourdes.

Para o secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, iniciativas como essa garantem a melhoria do serviço prestado pela rede de atendimento à mulher.

“É através desses processos de capacitação que vamos aprimorar a rede de atendimento à mulher, que vamos nos conhecer e saber dos serviços que estão à nossa volta para fortalecermos e aperfeiçoarmos cada vez mais a rede de proteção. Estou certo que as mulheres do nosso estado serão melhor atendidas, sabendo mais de seus direitos após essa capacitação”, disse o secretário ao entregar os certificados.

Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos leva apoio a Queimados, Japeri e Nova Iguaçu

12/12/2013 às 1:04 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Municípios mais atingidos pelas chuvas receberam material de limpeza e cestas básicas

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) entregou, nesta sexta-feira e sábado, dias 6 e 7, material de limpeza, kits de higiene pessoal, roupa de cama, mesa e banho, água potável, colchonetes e 550 cestas básicas nos municípios de Queimados, Nova Iguaçu e Japeri, as cidades mais atingidas pela forte chuva da noite da última quinta-feira, dia 05.

A SEASDH contou com a parceria da Defesa Civil do Estado, que providenciou os colchonetes e ajudou no transporte de todo o material. A CEADE enviou um caminhão Vacol, para desentupir canalizações, e um caminhão pipa e há equipes do INEA trabalhando no município.

O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, que acompanhou toda a distribuição, lamentou a situação em que se encontram as três cidades.

“É muito triste ver pessoas perderem suas coisas, serem desalojadas, e isso aconteceu aqui. Nesse primeiro momento vamos levar até as pessoas os itens mais emergenciais, que são água potável e material de limpeza, além de cestas básicas. Acompanhamos o cadastramento feito pela prefeitura e vamos ajudar os municípios caso haja a necessidade de cadastrar as famílias no aluguel social”, disse o secretário.

Em Japeri há 232 pessoas desalojadas. O município de Queimados tem, segundo a Defesa Civil, 441 desalojados, 72 desabrigados e seis casas foram interditadas. Os agentes visitaram 21 bairros para checar a destruição causada pela chuva e retirar as pessoas de áreas de risco.

“Esta não é uma situação comum no nosso município e o apoio da SEASDH está sendo fundamental. O prefeito imediatamente criou um gabinete de crise e desde então o secretário Zaqueu enviou, além do material, equipes com grande experiência em lidar com esta situação, o que certamente vai minimizar o sofrimento dos moradores. As pessoas não estão desamparadas”, afirmou o secretário Municipal de Assistência Social de Queimados, Elton Teixeira.

Na sexta-feira, o prefeito Max Lemos decretou estado de emergência em Queimados. A partir da próxima segunda-feira, segundo o secretário Zaqueu, as equipes da SEASDH acompanharão as equipes das prefeituras e as famílias que perderam suas casas e entrarão no programa Minha Casa, Minha Vida contarão com o aluguel social até receberem as novas moradias.

Ainda segundo o secretário, mesmo com todo o material doado pela SEASDH e pela Defesa Civil, ainda são necessárias doações, principalmente de alimentos, água, colchonetes e fraldas.

Em Queimados, foram montados postos de arrecadação de doações nos seguintes pontos:

Vila Olímpica de Queimados – Avenida Maracanã – s/nº – Vila Pacaembu; Secretaria Municipal de Assistência Social – Rua Eugênio Castanheiras, n° 176 – Centro; Secretaria Municipal de Serviços Públicos – Rua Félix, n° 1581 – Centro, ao lado Fórum.

SEASDH vai pagar o aluguel social a famílias desalojadas em Queimados

12/12/2013 às 1:03 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

No sábado, secretaria leva mutirão para emissão de documentos ao município

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) vai pagar o Aluguel Social, no valor de R$ 500,00, a 300 famílias do município de Queimados, que terão que deixar suas casas, interditadas pela Defesa Civil. O município, que teve 30 mil pessoas atingidas pela chuva de quinta-feira, dia 05, e ainda não contabilizou os prejuízos decorrentes da chuva de terça, dia 10, e quarta-feira, dia 11, tem cerca de 600 famílias desalojadas. O cadastramento das famílias no aluguel social vai ser realizado na segunda-feira, dia 17, e o pagamento será feito a partir de janeiro de 2014. O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, lamentou a situação em que se encontra a cidade. “A baixada fluminense está sofrendo muito com as chuvas. Queimados tem estas famílias na beira do rio, que não podem permanecer ali. O governador nos autorizou imediatamente o pagamento do aluguel social a estas famílias, enquanto não receberem suas casas no Minha Casa, Minha Vida”, afirmou o secretário. Na última semana, a SEASDH entregou mais de 500 cestas básicas nos municípios de Queimados, Japeri e Nova Iguaçu, contando com a parceria da Defesa civil do Estado, CEDAE e Inea. Ainda segundo o secretário, mesmo com todo o material doado pela SEASDH e pela Defesa Civil, ainda são necessárias doações, principalmente de alimentos, água, colchonetes e fraldas. “Os prejuízos para as pessoas são grandes, mas além do Estado, ainda existe muita solidariedade e doações sempre chegam, disse Zaqueu, que ainda anunciou um mutirão para emissão de documentos no município. “No sábado, dia 14, faremos um mutirão para emitir os documentos de todos que tenham perdido os seus na chuva. A pessoa sem documentação não consegue fazer nada. E nestas condições as pessoas não conseguirão se deslocar para fazer isso”. Em Queimados, foram montados postos de arrecadação de doações nos seguintes pontos: Vila Olímpica de Queimados – Avenida Maracanã – s/nº – Vila Pacaembu; Secretaria Municipal de Assistência Social – Rua Eugênio Castanheiras, n° 176 – Centro; Secretaria Municipal de Serviços Públicos – Rua Félix, n° 1581 – Centro, ao lado Fórum.

SPMulheres reúne conselheiras municipais para avaliar ações de 2013 e planejar 2014

12/05/2013 às 11:39 am | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Encontro realizado no CEDIM reuniu representantes de 25 conselhos municipais dos direitos da mulher

Wanderson Costa Cruz-4343

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), por meio da Subsecretaria de Política para as Mulheres (SPMulheres), promoveu, nesta terça-feira (03/12), do Auditório do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM), o Encontro Estadual de Conselheiras Municipais dos Direitos da Mulher. A agenda, que reuniu representantes dos 25 conselhos existentes no estado do Rio de Janeiro, teve por objetivo avaliar as ações realizadas em 2013 e discutir estratégias da política dos direitos da mulher para o ano de 2014. “A ideia é termos um tarde de trabalho, onde possamos fazer um balanço das ações realizadas em 2013. A nossa preocupação é aproximar cada vez mais o Conselho Estadual dos municipais para fortalecer a luta das mulheres do estado do Rio de Janeiro”, explicou a conselheira estadual Dilcéia Quintela, que faz parte de uma comissão para a implantação de novos conselhos municipais. “O objetivo é trocar experiências, estimular a formação de novos conselhos e fortalecer os já existentes”, acrescentou a conselheira Maria da Conceição Santos.
O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, que abriu o encontro, destacou a importância da interação dos conselhos municipais e estadual para o fortalecimento das políticas para as mulheres. “Esse diálogo é importante para que os conselhos possam conhecer os serviços que o estado tem. E também para que possamos dar o apoio necessário para que todas as cidades tenham os seus conselhos e mais uma vez me coloco à disposição para fazer a interlocução com os prefeitos para que tenhamos uma política dos direitos da mulher cada vez mais forte em nosso estado. E essa participação dos conselhos, da sociedade civil, é fundamental para que possamos estar sempre aperfeiçoando a política”, ressaltou o secretário. Durante o encontro, as participantes puderam se inscrever no programa de capacitação à distância em Democracia e Gênero, oferecido pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM), em parceria com a Secretaria Nacional de Política para as Mulheres (SPM).

Gestores e técnicos municipais da Assistência Social são capacitados sobre gestão de recursos do Fundo a Fundo

12/03/2013 às 12:26 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Parceria entre a Cosea e a gestão do Sistema Único de Assistencial Social (SUAS) gerou uma nova proposta de desenvolvimento de prestação de contas e um plano de ação mais eficaz

A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), por meio da Subsecretaria de Assistência Social e Descentralização da Gestão (SSASDG) e a Coordenadoria Setorial de Auditoria (COSEA) realizou uma oficina, nesta segunda-feira (02.12), no auditório Adalto Belarmino, para capacitar gestores financeiros das secretarias municipais de Assistência Social sobre a operacionalização do Fundo a Fundo. Cerca de 105 representantes da assistência social de 73 municípios do Estado estiveram presentes.

A transferência de recursos financeiros a serem repassados do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS) para os fundos municipais de assistência social foi regulamentada pela Lei nº 8.742, de sete de dezembro de 1993 e será aplicada segundo as metas estabelecidas nos Planos de Ação aprovados em consonância com a Norma Operacional Básica de Assistência Social – NOB/SUAS de 15 de julho de 2005.

A subsecretária da SSASDG, Nelma de Azeredo, explicou que o encontro é importante para se esclarecer as dúvidas. “Temos uma preocupação para evitar que o município, por alguma razão e até principalmente por falta de informação, fique vulnerável na perspectiva na prestação de contas e venha ter problema”, disse Nelma. De acordo com o auditor Carlos Alberto da Silva, durante dois anos a SEASDH evolui o nível de conhecimento do Fundo a Fundo. “Neste momento, ao caminhar para o terceiro ano, sentimos uma necessidade de se fazer determinadas mudanças. Então, agregamos uma parceria entre o COSEA e a gestão do Sistema Único de Assistencial Social (SUAS), que gerou uma nova proposta de desenvolvimento de prestação de contas e um plano de ação mais eficaz”, ressaltou o auditor.

Segundo ele, a nova proposta terá início através da operacionalização da prestação de contas do exercício de 2013, que será apresentada até o mês de março de 2014. “Com o novo método haverá uma visão mais ampla e mais concisa das informações referentes aos gastos do ano que vem”, conclui Carlos Alberto. Durante o evento, a superintendente de Gestão do SUAS, Helena Lima, debateu o modelo de gestão financeira do SUAS e apresentou o instrumento de planejamento do uso do recurso do cofinanciamento estadual para o ano que vem.

Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Rio de Janeiro aprova Plano Estadual

12/03/2013 às 12:24 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Documento será analisado pela assessoria jurídica da SEASDH e posteriormente enviado ao governador Sérgio Cabral

O Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Estado do Rio de Janeiro, organismo coordenado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), aprovou, na tarde desta quinta-feira (28/11), em encontro realizado na SEASDH, o Plano Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. O documento elaborado pelo grupo define as ações prioritárias para o enfrentamento ao tráfico de pessoas no estado e norteará as ações do Comitê e de seus membros nos próximos 3 anos, a contar da publicação. O plano é composto por três eixos de atuação: prevenção, repressão e assistência às vítimas. “Foram nove meses de intenso trabalho, dezesseis encontros realizados, para finalmente formatarmos o plano. Durante todo esse tempo refletimos sobre todos os aspectos de atuação do tráfico de pessoas no nosso estado e elencamos as principais ações que precisam ser implementadas nos próximos 3 anos para enfrentar esse grande problema”, explica o coordenador do Comitê, Ebenézer Marques de Oliveira. O Plano será examinado pela assessoria jurídica da Secretaria de Estado de Assistência Social e em seguida será enviado ao governador Sérgio Cabral para aprovação do decreto. O Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Estado do Rio de Janeiro é um organismo coordenado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) e composto por representantes das secretarias de Estado de Educação, Saúde, Segurança Pública, Turismo, Cultura, Habitação, Trabalho e Renda; do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJERJ), Ministério Público Estadual, Defensoria Pública, Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), Governo Federal, Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União, Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Guarda Municipal do Rio de Janeiro e de oito instituições da sociedade civil: Projeto Legal, Gerando Vidas, Movimento de Mulheres de São Gonçalo, Movimento Rio, Davida, Viva Rio e Instituto Promundo.

Seminário do Caminho Melhor Jovem é aberto na UERJ

12/03/2013 às 12:24 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Evento visa debater ações para juventudes de territórios de favelas do Rio de Janeiro

Wanderson Costa Cruz-3480

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), por meio do Programa Caminho Melhor Jovem, deu início nesta terça-feira (26/11), ao Seminário Juventudes e Territórios de Favelas: narrativas, experiências e aprendizagens. O evento, realizado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), visa proporcionar espaços de diálogo sobre políticas públicas e ações voltadas a jovens de territórios de favelas, reunindo diferentes setores da sociedade, tais como movimentos sociais, ativistas pelos direitos das juventudes, pesquisadores/s, formuladores/as de políticas públicas, entre outros.

“Com o Caminho Melhor Jovem nós temos uma oportunidade de ouro de criar uma nova tecnologia social na relação de um programa, que não chega pronto, mas que vai trabalhar as potencialidades da comunidade, de cada jovem que ali for nosso público alvo. É um programa ambicioso porque queremos efetivamente concretizar o sonho dos jovens e eu tenho certeza absoluta que cada sonho que concretizarmos nós vamos estar ajudando a ter uma sociedade melhor, a fazer com que o processo de pacificação não seja apenas um processo de retomada de território, mas que seja de fato um processo em que a gente consiga transformar aquele local, que viveu tanto tempo sendo massacrado pelo confronto do crime organizado com a polícia, e de deixar que essa cidade seja partida para ser uma cidade integrada. Nós temos esse desafio social de fazer a transformação, que se dará através das pessoas. Nós hoje temos a opção de dar concretude às oportunidades e fazer com que o sonhos se transformem em realidade”, destacou o secretário Zaqueu Teixeira.

Durante a mesa de abertura foram assinados os termos de parceria do projeto com diversos órgãos do poder público, tais como: Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (PRODERJ); secretarias de Estado de Cultura, Educação, Trabalho e Renda; Secretaria Municipal de Saúde, Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente (NESA) da Uerj, e a Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC).

O Seminário segue até o próximo dia 28. Na programação estão previstas rodas de diálogo, reunindo experiências e aprendizagens resultantes de diferentes ações realizadas com/para/por juventudes do Rio de Janeiro e em territórios de favelas, sobretudo pacificados ou em pacificação. Complementando os debates das rodas, mostra audiovisual, intervenções culturais com coletivos de jovens do Rio de Janeiro e oficinas com temáticas distintas integram as atividades, colaborando com a qualificação de profissionais que atuam com projetos de juventude.

“O Caminho Melhor Jovem é um programa grande e mais complexo do que o nome sugere, porque trata de fazer acontecer o sonho de 40 mil jovens do Estado do Rio de Janeiro, então, quando a gente tem aqui vários parceiros assinando o termo de adesão, ficamos certos de que estamos alcançando um outro patamar do programa”, disse a coordenadora do Caminho Melhor Jovem, Morgana Eneile.

Com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Governo do Estado, o Caminho Melhor Jovem foi lançado em agosto de 2013 e visa melhorar, em quatro anos, as condições de vida de aproximadamente 40 mil jovens de territórios pacificados ou em pacificação no Rio de Janeiro. Para isso, o Programa busca inovar, colaborando para atender as necessidades específicas de jovens, acolher sonhos, acompanhar e orientar a trajetória de forma individual, de acordo com o caminho escolhido, com o apoio de uma equipe multiprofissional. Parcerias com outros órgãos governamentais e não-governamentais vêm sendo estabelecidas, com a finalidade de oferecer oportunidades adequadas para atender as demandas de cada jovem participante do Programa. O programa já está presente nos territórios de Manguinhos e Cidade de Deus.

Próxima Página »

Blog no WordPress.com. | O tema Pool.
Entries e comentários feeds.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.