Estado realiza Conferência Estadual de Igualdade Racial

08/26/2013 às 1:12 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Para chegar à etapa estadual, foram realizadas 41 Conferências Municipais, que elegeram 398 delegados.

Wanderson Costa Cruz-202-2

Com o tema Democracia e Desenvolvimento Sem Racismo: Por um Estado e um Brasil Afirmativos, nesta sexta-feira (23/08), no clube Renascença, na Grande Tijuca, teve início a III Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Conepir). O evento acontece de 23 a 25 de agosto e tem como objetivo discutir ações afirmativas que possam promover em todo o estado políticas públicas em prol da igualdade racial. Para chegar à etapa estadual, foram realizadas 41 Conferências Municipais, em todas as regiões do estado, que elegeram 398 delegados.

“Além de falar da satisfação em participar da política pública de igualdade racial, eu gostaria de destacar dois pontos importantes para lutarmos nesta temática. Um deles, são as cotas para o concurso público, colocando uma representação maior do negro e tirando das mãos exclusivamente das elites, o outro, é a criação do Comitê Intersetorial da Comunidade Quilombola”, afirmou o secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, destacando que o comitê deve ser instaurado até 20 de novembro deste ano.

Morador da Comunidade Quilombola da Machadinha, no município de Quissamã, André Luiz do Sacramento compareceu à conferência com a intenção de apontar as necessidades da comunidade remanescente dos quilombos. “Eu espero que estas iniciativas do estado sensibilizem os municípios, que não têm visão sobre nós. As políticas públicas não chegam nos antigos quilombos, estamos distantes e excluídos, o nosso município não se preocupa com esta questão”, revelou Sacramento.

Para o Superintendente de Promoção da Igualdade Racial, Marcelo Dias, a discussão vem avançando no estado, já que todos os municípios da região metropolitana realizaram conferências municipais e a região representa 75% da população. “Em todas as regiões aconteceram um número expressivo das etapas municipais, atingindo mais de 50% dos 92 municípios do estado. Com isso mobilizamos cerca de 3.800 militantes da causa, fazendo com que o diálogo avance, as cidades que ainda desviam os olhares para a questão da igualdade racial passam a trazê-la para suas pautas, discussões e estratégias”, pontuou o superintendente.

As propostas

Neste ano os eixos centrais a serem debatidos são as estratégias para o desenvolvimento e enfrentamento ao racismo; os avanços e limites das políticas de igualdade racial; arranjos institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas de igualdade racial e a participação política e controle social nos espaço de decisão e de participação da sociedade civil no monitoramento das políticas.

Representando a sociedade civil, o Babalaô Ivanir dos Santos, liderança nas causas de racismo e igualdade racial, prestigiou o evento e destacou a importância de lutar pela aplicação da lei 10.639/3. A lei do Congresso Nacional, que completa 10 anos de sanção, inclui no currículo oficial das escolas a obrigatoriedade do ensino da história e da cultura afro-brasileira. “Para mim, esta é uma questão, embora antiga, ainda importante, e deve ser reforçada. A educação ainda é uma questão que tem diversos desdobramentos nesta causa e esta lei é, sem dúvida, algo que merece destaque. Mas parabenizo o evento neste ano e sei que toda discussão é importante e temos que lutar para que ela se transforme em política pública e entre no orçamento”, frisou o babalaô.

O evento é uma realização conjunta do Governo do Estado coordenada pela secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), através da Superintendência de Promoção da Igualdade Racial (Supir) e do Conselho Estadual dos Direitos do Negro (Cedine). A cerimônia de abertura contou com a presença da ministra chefe da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, Luiza Bairros, da deputada federal, Benedita da Silva, da deputada estadual e presidente da Comissão de Combate ao Racismo, Rosângela Gomes, do presidente do Cedine, Paulo Roberto, e do presidente da Fundação Palmares, Hilton Cobra.

Programação:

No sábado, dia 24, a partir das 9h, a conferência será marcada pelos grupos de trabalho que acontecem na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), junto com as Plenárias da Sociedade Civil. No dia 25, no mesmo horário, haverá a plenária final e a eleição dos delegados para a conferência nacional, com encerramento previsto para as 17h, com shows e atividades culturais, no Clube Renascença.

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: