Rede Capital, coordenada pela SEASDH, combate violência contra as mulheres no Parque de Madureira

11/25/2013 às 12:12 pm | Publicado em Informações | Deixe um comentário

Mulheres tiveram acesso a serviços e informações sobre seus direitos

Wanderson Costa Cruz-2788

Por ocasião dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, a Rede Capital, rede de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência do município do Rio de Janeiro promoveu neste sábado uma ação no Parque Madureira, na Zona Norte. Durante toda a manhã diversas instituições que compõem a Rede prestarem orientação e atendimento às mulheres sobre seus direitos, numa ação de divulgação dos serviços disponíveis para as mulheres no enfrentamento da violência. “Nós estamos nessa campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, temos hoje atividade aqui no Parque Madureira, em Novo Iguaçu, Queimados e eu agradeço a todos os serviços e servidores que estão, porque é graças a essa rede que nós vamos conseguir levar conscientização para a população de que nós precisamos dar um basta a violência. Xô violência, xô discriminação”, disse o secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira.

A Rede Capital existe desde 2007 e atualmente é formada por instituições do poder público. Por ser uma rede, não há hierarquias e está em contínua expansão. Por questões organizacionais, é coordenada pela Coordenação da Rede de Serviços de Atendimento à Mulher, da Subsecretaria Estadual de Políticas para as Mulheres – SPMulheres-RJ. O objetivo da Rede Capital é de articular e integrar a atuação das diversas instituições que defendem os diretos das mulheres, seja na esfera judicial, social, psicológica e médica, proporcionando atendimento humanizado, para o exercício da cidadania. Participaram do evento a Casa da Mulher de Manguinhos, os centros Especializados de Atendimento à Mulher (CEAMs) Chiquinha Gonzaga e Márcia Lyra, o Centro de Referência LGBT da Capital, o Centro de Referência das Mulheres da Maré Carminha Rosa, o CDDM/ALERJ, através do Disque SOS Mulher, o Disque Denúncia, a Defensoria Pública, através do NUDEM, o Ministério Público, através do CAOp das Promotorias de Justiça de Violência Doméstica e Contra a Mulher, a Secretaria Municipal de Saúde, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJERJ), através da CEJEM e da CEJUVIDA.

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: